Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Terça-feira, 30 de Agosto de 2005
Sem tese
O antropólogo está no metro e pensa tomar notas sobre o que vê.

A carruagem é um campo muito curto e rápido: os que entram, os que saem, os que beijam, os que dormem (ou coisa parecida), os que riem, os que fixam um ponto no chão (aquele ponto que já todos vimos e não soubemos explicar), os que olham como se estivessem também a escrever, descrever.

É um campo curto e rápido o do antropólogo no metro que, entre duas estações, tenta formular uma hipótese para uma tese curta e rápida.

Não há hipótese para a vida do antropólogo no metro. (Jorge Castro)


publicado por antmarte às 12:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 29 de Agosto de 2005
De Regresso à base
Cheguei, vi e venci! (estou a brincar)

Bem Zé Paulo vamos lá ver se desta eu consigo.

Como nota de introdução, quero saudar todos os colegas da turma ad2 e quem mais aparecer, porque "seja bem vindo quem vier por bem".

Como disse a alguns colegas quando terminasse ia soltar a franga (salve seja). Tenda, bilhetes e algum dinheiro (dá geito), rumo a Vilar de Mouros. Quase todos valeram a pena, mas meninos, Joe Cocker e Robert Plant "que senhores". Mas depois para avacalhar estiveram os imparáveis "Tara Perdida", desculpem a publicidade, são cá do meu bairro.

Para o ano se o cartaz estiver composto volto lá. A paisagem era deslumbrante, mas infelizmente`existem os alérgicos ao "verde" e não estou a falar dos não sportinguistas.

O nosso planeta respira mal e o nosso país é um dos candidatos a asmático. É uma pena ver destruido em instantes o que se constroi com tanto sacrificio. Mas a consciência é uma onça de tabaco "espalhada pelo mundo".

Por falar em consciência, este blog tem de ser as nossas consciências que segundo amostra de 4 anos, somos todos 5 estrelas, principalmente quando estamos com os copos (estou a brincar).

Vamos viajar até marte, ou Charlie e a Fábrica de Chocolate.

Isabel Garcia



publicado por antmarte às 21:24
link do post | comentar | favorito

Desempate nos "penalties"
No fim de um desafio de quatro anos, e após todos os prolongamentos possíveis, há agora 17 inscrições para o “desempate nos penalties” da época especial de finalistas, a decorrer nos próximos dias.
Contas feitas com as acumulações (em que me incluo com Antropologia do Simbólico e Ciência Política), devemos ser mais ou menos uma dúzia a contas com mais este (último) desafio.
Camaradas e amigos, nada de pressões, angústias ou desesperos. Pensem pela inversa, como são infelizes os colegas que já terminaram o curso, coitados, sem nada para fazer e com as suas vidas tão vazias, sem terem que estudar... (?!)
Ou encarem de frente este desafio como apenas mais um, efectivamente o último destas nossas andanças pelo ISCTE, pois que decerto todos vamos superá-lo com sucesso, como sempre!
Aqui deixo hoje a minha solidariedade de “estudante até à última” e votos da maior força para todos os que me acompanham nesta etapa.
Logo a seguir novos desafios surgirão, para todos (os que já andam “de papo para o ar” também, ou pensam que é só “boa vida”?), como os moinhos que sempre se deparam ao Quixote, ou a pedra que eternamente escapa ao Sísifo... (Zé Paulo)


publicado por antmarte às 15:50
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2005
Um pouco mais...
Houve um dia em que o primeiro-ministro disse poesia. É verdade. Pode parecer mentira, mas é verdade. Foi ontem, na Marinha Grande, na visita a uma indústria, a propósito do empreendorismo, da inovação e do desenvolvimento. Como incentivo à dinamização económica disse o primeiro ministro que “um pouco mais de sol – eu era brasa / um pouco mais de azul – eu era além”.
Pois. Pena é que na verdade a poesia já há muito tenha “recolhido a casa” na nossa vida política e pelos nossos dias a cidadania autêntica e a participação política se fiquem mais pelo “quase” que o poeta exprime nos seus versos.

Quase
“Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...
Assombro ou paz? Em vão... Tudo esvaído
Num grande mar enganador de espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,
O grande sonho - ó dor! - quase vivido...
Quase o amor, quase o triunfo e a chama,
Quase o princípio e o fim - quase a expansão...
Mas na minh'alma tudo se derrama...
Entanto nada foi só ilusão!
De tudo houve um começo ... e tudo errou...
- Ai a dor de ser - quase, dor sem fim...
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
Asa que se enlaçou mas não voou...
Momentos de alma que, desbaratei...
Templos aonde nunca pus um altar...
Rios que perdi sem os levar ao mar...
Ânsias que foram mas que não fixei...
Se me vagueio, encontro só indícios...
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas;
E mãos de herói, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios...
Num ímpeto difuso de quebranto,
Tudo encetei e nada possuí...
Hoje, de mim, só resta o desencanto
Das coisas que beijei mas não vivi...
Um pouco mais de sol - e fora brasa,
Um pouco mais de azul - e fora além.
Para atingir faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...”
Mário de Sá-Carneiro
(Zé Paulo)


publicado por antmarte às 14:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 23 de Agosto de 2005
Que Chatice
Pois é isto da antropologia anda muito em foco neste blog. Convem aliviar esta carga e pensar mais positivo. O sporting foi-se da taça dos campeões. Vamos ter de esperar que o glorioso salve a honra do convento e mostre quem é quem na europa. Lagartos, podem começa a despedir o Ricardo, definitivamente já são frangos a mais neste inicio do campeonato. talvez a soluçõa seja inscreve-lo num curso de antropologia.
Continuação de boas férias para todos.


publicado por antmarte às 22:34
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 20 de Agosto de 2005
Sim... claro!
"Então é só o cafézinho?"

"Sim. Só café"

"Qual foi o curso?"

"Antropologia"

"Ah! Então és antropólogo?"

"Não é bem assim...!"

"Tá bem, mas és doutor!"

"Nããão! Isso são os que fazem o doutoramento!"

"...Ar-queo..."

"Antropologia!"

"Ah! Claro... antropologia... claro" Afasta-se pensativo. (Jorge Castro)


publicado por antmarte às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 17 de Agosto de 2005
Olá a todos!!
Parabens Zé Paulo por esta excelente ideia. Só mesmo tu...!!! A possibilidade de podermos conversar todos e saber notícias de cada um é sem dúvida uma coisa que me deixou feliz. Era uma pena de repente não podermos contactar as pessoas que fizeram parte das nossas noites durante 4 anos! Vou ser uma visitante assídua, atenta e participante tb. Um grande abraço para todos e até breve. Até ao dia 7 de Setembro vou estar um pouco mais ocupada - falta-me 1 cadeira cujo exame é nesse dia - mas depois prometo voltar
beijinhos
Anabela


publicado por antmarte às 21:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Trabalho de casa
O antropólogo observa o seu objecto, que neste caso são pessoas, e toma notas no seu bloco/caderninho.
As primeiras páginas preenchem-se rápidamente, as seguintes com mais dificuldade, a partir do meio o caderno/bloquinho é abandonado.
O antropólogo está farto. Tentou histórias sem vida, tentou uma observação participante, mas não muito, tentou o gravador como tanto lhe recomendaram. O antropólogo está farto. Farto.
"Já lhes conheço os passos, as manias, os rituais ou a falta deles, já lhes conheço o parentesco(?), a língua, o linguajar, os códigos, os olhares, os sonhos, os pensamentos". O antropólogo está cansado deste campo, frustrado das suas tiradas imaginativas para tornar o nada um pouco interessante e muito interessante o óbvio. Os informantes... os informantes são os de sempre: sempre as mesmas conversas, as mesmas pausas... "são muitos anos aqui metido" pensa o nosso antropólogo farto, cansado e frustrado.
Há que tomar uma decisão... o antropólogo olha à sua volta aquele terreno desgastado pelo seu olhar e pela sua caneta, abre a porta e grita "Vou à rua beber café".

Obrigado Zé Paulo por acolheres as nossas frustrações (Jorge Castro).


publicado por antmarte às 16:26
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 11 de Agosto de 2005
Exogamias
Sendo a internet um espaço em que a porta está sempre aberta, era inevitável e natural que, mais cedo ou mais tarde, fossemos visitados por “forasteiros” (comentário em “Cá estaremos. Cá estaremos”). O “suspeito” está “identificado”, apenas não a via pela qual chegou até cá...
A exogamia e a reciprocidade são princípios já nossos conhecidos, pelo que devemos ser receptivos aos “forasteiros” e retribuir as visitas. Bem vindos sejam, pois.
Já a questão de trazer à nossa órbita professores, como alguns reclamam, temo que não seja consensual, pelo que a deixo em aberto... (Zé Paulo)


publicado por antmarte às 16:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 9 de Agosto de 2005
ETNOGRAFIA - GENTE PURA E SIMPLES
Olá a todos os Marcianos, aos que estão de férias e aos resistentes que ainda por cá andam, obrigada Zé Paulo, não consegui logo à primeira mas...agora parece que com as tuas instruções vai...queria partilhar com vocês um link e dar-vos a conhecer um blog que recebi de uma lista de conversa de que faço parte, e me pediram para passar, não custa nada, não é amigos?
Entretanto, ontem e espanto dos espantos, vi que a nossa popularidade está já muito mais há frente, Ah pois é, coleguinhas, não é que me sento a descansar e a ver o humor "sempre" presente do GATO FEDORENTO, e começam logo no primeiro sctech, por falar de Etnografia??? O que é a Etnografia????O que faz o Etnógrafo???? Resultado, absolutamente esmagador, São as pessoas que Estudam''''''' os hábitos os costumes e as tradições da gente pura e simples do campo'''''''''''''''''''''''caí do sofá. Viro para a SIC e em PLENA NOVELA DE HORÁRIO NOBRE aparece um senhor, que diz a uma menina da minha idade, atenção...: o meu pai era Antropólogo, por isso já vaijei por quase todos os cantos do mundo( A Marte é que ele não foi, bem entendido!!!!o convencido, senão nós tinhamos-o encontrado) e a menina espantada e inocente até à medula , pergunta com uma vozinha doce: -O que é um Antropólogo??????? Aqui seguiu-se mais uma explicação daquelas que de tão simples nunca nos ensinaram, queriam era matar-nos a cabeça, porque será????????????Segunda queda do sofá, desisto de ver TV, agora só o Canal Panda, e vamos lá a ver, mas decididamente ontem era o nosso dia meus amigos, já estamos em todo o lado, AH se estamos, esta popularidade este sucesso sempre a subir, fantástico , não acham????? Até já chegámos a Marte(és um maroto Zé Paulo). Ainda por cima o livro Oliver Sacks é demasiado técnico para mim e só consegui ler "parte " dos capitulos, e isto vale também para o último, onde ele faz a comparação entre o desajuste que o autista tem com a realidade e nós neoAntropólogos
Muitos beijinhos e saudades para todos e um grande xi-coração força, quero ler as vossas noticias. Curtam muito esta vitória (de apenas 4 aninhos, não esperámos tanto como os clubes de futebol pelos quias torcemos que nem loucos) pois não amigos, até foi bom, de repente tenho a sensação que passou depressa e tenho muitas saudades vossas.
Então e os nossos carissimos professores quando é que nos dão o prazer de aparecer por aqui???...Isabel Gradil.

O link de que falei no inicio é o seguinte <http://opuscorpus.incubadora.fapesp.br>
http://opuscorpus.incubadora.fapesp.br.

o Blog e o texto que o acompanha está ...já a seguir, eu sei que me alonguei, mas isto de escrever num blog, is the first time, emocionou-me'''OH OH


Caros amigos:

Por gostar de arquitectura e de fotografar, e por estar estar
de férias, fui recentemente em Espanha vítima de uma inacreditável
situação de violação dos Direitos Humanos e de abuso do poder. Segundo
a opinião dos meus advogados e de muitas outras pessoas fui vítima de
um "equívoco da Polícia Espanhola" que me prendeu na rua, algemou e
agrediu violentamente, sem que tivesse direito a qualquer dos
mecanismos que a lei determina para estas situações (leitura de
direitos, presença de um advogado, permissão de um telefonema,
protecção à integridade física, etc).

Achei que era um dever meu denunciar esta situação, para que
não se repita ou acabe ainda pior (veja-se o caso do brasileiro
abatido no metro de Londres). Tentei, com a ajuda de um deputado amigo
levar este caso aos media, sempre sem sucesso porque ao que parece
quando chegava à direcção editorial era posto 'na gaveta' «por se
tratar de um assunto delicado»...

Escrevi para várias organizações de defesa dos direitos humanos, e
nada.

Contactei pessoalmente o director da "Cais" na inauguração da
exposição do seu 3º Concurso de fotografia, onde tenho duas fotos.
Interessou-se, mas até ao momento nada...

Já em "desespero de causa" e porque ainda sinto a humilhação e
a brutalidade de que fui vítima, criei um Blog com o relato ilustrado
de todos os factos sucedidos.

É precisamente por isso que vos peço ajuda, na divulgação desse
Blog (através, por exº, da vossa mailing list), porque tanto quanto me
informaram, o blog só entra nos motores de busca após um elevado
número de acessos. Espero ainda que o conteúdo desse blog sirva de
aviso a quem pretende fazer férias "fotográficas" em Espanha e tenha
um ar 'estrangeirado'…

Peço-vos que abram o blog para perceberem a gravidade da minha
Kafkiana experiência e da urgência em a denunciar/divulgar.

O endereço do Blog "Denúncia" é o seguinte:
http://pontevedra.blogspot.com/

Pelo meu lado, já constitui um advogado em Espanha e levarei o
caso até às últimas instâncias legais, o que como sabem será um
processo longo e desgastante.

Um abraço,

Gonçalo Afonso Dias


publicado por antmarte às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Fora de órbita

Pensar o mundo ou transfo...

Não só uns chutos na bola

Da (falta de) educação

“Destak”

“Ou há justiça ou comem t...

Do Mundial ou 2ª época de...

Um livro, um amigo

Rectificação

Dia Mundial da Criança

arquivos

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds