Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Sexta-feira, 18 de Novembro de 2005
Indecoroso
Coincidiu com a greve dos professores a publicitação de um estudo sobre o absentismo da classe. Conceda-se, não há problema nenhum, não fora o estudo não estar ainda completo, não ser conclusivo e os dados conhecidos serem parcelares.
Confrontado com estas questões na TSF, o senhor Secretário de Estado da Educação reagiu quase aos berros e desmentiu tudo sem apresentar argumentos sólidos ou sequer fundamentos para a posição do ministério. Não é a primeira vez que acontece algo de género. A senhora ministra, no seu ar meio inocente, meio enfadado, também já teve em tempos uma atitude do género. Poderíamos usar de um certo humor complacente e dizer que é uma falta de educação. Mas é mais do que isso.
O senhor engenheiro Sócrates que governe lá à sua vontade. Tem maioria absoluta no parlamento, legitimidade democrática, etc.. Mas prepotência, arrogância, falta de senso, de civismo e mesmo estupidez, francamente, não iam no mandato que lhes foi dado no voto. (Zé Paulo)


publicado por antmarte às 11:27
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 21 de Novembro de 2005 às 11:15
1º: que bom ver por aqui o meu amigo Zé Carlos, uma das visitas que há muito esperava nestas bandas! Promete que continuas a aparecer e eu prometo que um dia destes escrevo uma coisa especialmente dedicada a ti (como já te havia dito, até). 2º: mas amigo, cuidado com os discursos generalizadores, de dedo apontado e sem prudência. É que por vezes eles servem a outro tipo de interesses, que não decerto aqueles a que te queres juntar.... 3º: o meu bom amigo Raposo está no mesmo ponto que eu, relativamente ao governo: crítico e um pouco céptico. Apenas partimos de pontos diferentes, tu de uma confiança inicial e algum optimismo, eu de alguma desconfiança e (do já tradicional) cepticismo. Mas em boa verdade, nesta altura, a perspectiva crítica é talvez a mais equilibrada. Mantenhamo-nos atentos...Zé Paulo
</a>
(mailto:ilus@clix.pt)


De Anónimo a 18 de Novembro de 2005 às 19:23
A coisa mexe, e se mexe. Zé Paulo deste pela forma como os profs. justificam as faltas dadas? Pondo 1 dia de férias. Pois é. Durante o ano lectivo é o que acontece. Fora os artigos X, Y, Z,..... que mandam para a frente. E depois nas férias própriamente ditas, não poêm lá o cú, dizem que não têm nada para fazer na escola, e vai de praia para a frente, praia, campo, cinema....Conheço vários pofs. do secundário, sabes o que eles dizem "quem quer bons empregos que os arranje". Está tudo dito. Se calhar é inveja? Quem desdanha quer comprar. E eu gostava de comprar. Estou farto de bulir no privado, e é como quem diz "é como cuspir para o ar". Abraços. das Nevesdas Neves
</a>
(mailto:josecneves@netvisao.pt)


De Anónimo a 18 de Novembro de 2005 às 17:43
Pois é meu amigo, este governo (e tanta, tanta coisa neste país) está a tornar-se cada vez mais parecido com aquela frase que já não me lembro bem em que situações se aplica mas que é "tinha tudo para ser bom, mas foi uma porcaria".

Lamentavelmente tinha uma esperança que partilhei muitas vezes com o meu amigo sobre a necessidade de um governo forte e exigente consigo e com o país porque achava e continuo a achar que existe muita a coisa a fazer...

Infelizmente tomei consciência no ultimo mês (sim apenas no ultimo mês) que o caminho que está a ser traçado é, em muitas àreas e em muitos aspectos, profundamente incorrecto.

Ainda faço um balanço positivo do Governo até porque ainda é recente e porque a conjuntura não ajuda nada, mas a tentação de uma governação arrogante, conflituosa, mal informada e irresponsável, não vai certamente ajudar à resolução dos problemas do país.


José Raposo
(http://joseraposo.blogspot.com)
(mailto:jose_raposo@netcabo.pt)


Comentar post