Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Segunda-feira, 21 de Novembro de 2005
As lágrimas de Schroeder
Numa cerimónia de despedida de chanceler da Alemanha Gerhard Schröder comoveu-se. Havia pedido que tocassem músicas de Frank Sinatra, para dedicar à mulher, e aos acordes de “My Way” não conteve algumas lágrimas.
Poder-se-iam tecer múltiplos comentários sobre este gesto, de teor mais ou menos simpático. Mas imaginemos livremente as razões das lágrimas de Schröder.
Comoção final, na hora de passar o testemunho, nesse breve instante em que se revê todo um percurso, com o sentido da missão cumprida?
Ou seria a emoção do malogro, do cansaço e do regresso ao aconchego do lar, depois de tantas e tão duras batalhas?
Pior seria se as lágrimas de Schröder fossem as da nossa desilusão, a constatação resignada de uma descoberta final, a da impossível utopia de ser governo à esquerda... (Zé Paulo)


publicado por antmarte às 12:56
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Anónimo a 22 de Novembro de 2005 às 14:11
Lá está, para dúvidas ou questões musicais, não há dúvida... é com o Sérgio!Zé Paulo
</a>
(mailto:ilus@clix.pt)


De Anónimo a 22 de Novembro de 2005 às 03:21
Seria a nostalgia de uma música francesa?

A canção "My Way" é uma versão feita por Paul Anka, cantor canadiano, de uma canção francesa escrita por Claude François, Jacques Revaux e Gilles Tibault e foi lançada para o mercado pela voz de Claude François (1939-1978) em 1968 com o título "Comme d'habitude". Sérgio Fonseca
</a>
(mailto:sef@netcabo.pt)


Comentar post