Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Sábado, 26 de Novembro de 2005
Ás vezes fico triste no Natal
O BURGUÊS

A gravata de fibra como corda
amarrada à camisa mal suada
um estômago senil que só engorda
arrotando riqueza acumulada.

Uma espécie de polvo com açorda
de comida cem vezes mastigada
cadeira de braços baixa e gorda
de cómoda com perna torneada.

Um baú de tolice. Uma chatice
com sorriso passado a purpurina
e olhos de pargo olhanando de revés.

Para dizer quem é basta o que disse
é uma besta humana que rumina
é um filho da puta é um burguês.

Ary dos Santos


publicado por antmarte às 22:26
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Anónimo a 28 de Novembro de 2005 às 14:04
Continua a tentar, nas imagens. Entretanto continua a enviar, nos textos, da tua autoria ou da tua agudíssima selecção. Cá te esperamos.Zé Paulo
</a>
(mailto:ilus@clix.pt)


De Anónimo a 26 de Novembro de 2005 às 22:29
Pronto ainda não faço isto bem, sou mais uma duas vezes. Zé paulo, já tentei e retentei, lindo não é??'mas não consigo colocar imagens, a minha capacidade de "aguentamento" também é pouca, se calhar por isso estou neste bypass, Beijinhos Isabel Guimaraes
</a>
(mailto:isabelgradil@yahoo.com)


Comentar post