Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2006
Histórias da festa da Taça
Dedicado ao camarada Tiago, em agradecimento pelo almoço de hoje

Na passada quarta-feira o Benfica jogou na vila de Tábua, contra o Tourizense, que não tinha condições para receber muito público no próprio campo e queria fazer uma boa receita, para auxiliar um ex-jogador em dificuldades. Como não houve “tomba-gigantes”, esta poderia ser a única nota de registo do encontro.
Mas no fim do relato na TSF o João Ricardo Pateiro decidiu contar-nos uma história, das que para mim fazem mesmo a festa da Taça. Naquele dia a terra estava em polvorosa, com a recepção ao campeão nacional. No restaurante a que já chegaram tarde, os repórteres da TSF demoraram-se mais um pouco e tardavam em conseguir a conta. Explicada a situação ao dono da casa, logo este abreviou, dizendo que voltassem no fim do jogo para o acerto. Os repórteres não puderam deixar de nos contar esta pequena mas deliciosa história, talvez estranha a uma perspectiva urbana, mas que sublinharam como característica de um país que ainda existe, onde todos se conhecem e a porta está sempre aberta.
Pela referência que fizeram do restaurante, provavelmente o senhor das barbas já nem lhes quis aceitar o dinheiro, quando lá voltaram, como prometido.
Se fosse o Perestrelo, talvez o almoço lhe fosse oferecido de pronto, pois que a sua figura e o seu vozeirão eram conhecidos e estimados para lá da invisibilidade da rádio. E com a sua “barriguinha” bem cheia talvez no fim do jogo ele nos contasse a história do restaurante, rematando com o “é disto que o meu povo gosta!”
Mas hoje o Perestrelo deve fazer relatos lá nesse sítio para onde ainda agora o Cáceres Monteiro também partiu, para mais uma grande reportagem, decerto (cf. texto de Filipe Luís na Visão). E a nós resta-nos agradecer aos seus camaradas que cá ficam por continuarem a encantar-nos com as histórias que também contam de uma forma tão bela. (Zé Paulo)


publicado por antmarte às 16:42
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De Anónimo a 17 de Janeiro de 2006 às 17:34
Totalmente recomposta (espero que sim), aí está a Isabel com o seu espírito idealista de sempre - mas ó rapariga, tu consegues crer que o Ferraz alguma vez muda "de cena"?! Isso já é idealismo a mais...Zé Paulo
</a>
(mailto:ilus@clix.pt)


De Anónimo a 17 de Janeiro de 2006 às 16:43
Eu sei que não apareço em lado nenhum à muito tempo, Bom Ano a todos. Estive imobilizada por causa de um pézinho.
Hoje estive a pôr-me em dia e a ler os textos como uma menina bonita. Estarás sempre bem, seja onde quer que seja que estejas Zé Paulo, muito obrigada . Já por outro lado/ que alivio em não ter de ler os comentários do Ferraz pelo menos num post. Ó Ferraz vai mas é dar banho ao cão. A malta sabe que tu és bom, mas RAIOS, muda lá de cena.Isabel Guimaraes
</a>
(mailto:isabelgradil@yahoo.com)


De Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 16:08
Ora, ora, como a malta sempre vai aparecendo, com dificuldade, mas aparece... estou a ver que a "táctica" de dedicar os textos ao pessoal tem efeitos positivos... vou continuar! Não percam os próximos "episódios"...Zé Paulo
</a>
(mailto:ilus@clix.pt)


De Anónimo a 14 de Janeiro de 2006 às 16:53
Eu é que agradeço a companhia, pois não é todos os dias que podemos passar a nossa hora de almoço de forma tão leve e cordial.
Aproveito para acrescentar que o Benfica também acompanhou a onda de solidariedade promovida pelo Tourizense, pois ainda deixou o nº10 Chano enviar uma bola à trave da baliza defendida pelo ex guarda-redes portista Moretto:) Falando a sério a instituição Benfica voltou a demonstrar o porquê da sua grandiosidade, pois decidiu oferecer a sua parte da receita do jogo ao malagroado jogador.
A todos um abraço e até breve.TIAGO
(http://ddffdt)
(mailto:tiago1978@iol.pt)


Comentar post