Ponto de encontro da turma da noite de antropologia, do ISCTE, 2001-2005
Domingo, 29 de Janeiro de 2006
Batem leve Levemente
Batem leve, levemente
Como quem chama por mim
Será chuva? Será gente?
Gente não é certamente
E a chuva não bate assim

É talvez ventania
Mas à pouco, à poucochinho
Nem uma agulha bolia
Na quieta melancolia
Dos pinheiros do caminho

Quem bate assim levemente
Com tão estranha leveza
Que mal se ouve, mal se sente
Não é chuva, nem é gente
Nem é vento com certeza

Fui ver. A neve caía,
Do azul cinzento do céu
Branca e leve,
Branca e fria.

Olho-a através da vidraça
Pôs tudo cor de vidro
Passa gente e quando passa
Os passos imprimem traços
Na brancura do caminho.

Autor: Augusto Gil


publicado por antmarte às 15:29
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 29 de Janeiro de 2006 às 15:33
E hoje dia 29 de Janeiro do ano da graça de 2006 nevou em Alfragide. Para que conste aqui fica o registo.Jorge Ferraz
</a>
(mailto:jferraz@iol.pt)


Comentar post